Novembro/18

espetáculo 29

espetáculo "quando a história se faz canção" #2

Como falar da nossa história e não lembrar das injustiças sócio-culturais e políticas vividas desde o nosso descobrimento, até hoje refletidas no povo brasileiro?

O extermínio indígena, a escravidão dos negros, o êxodo rural nordestino, os desaparecidos na ditadura militar. Estes são alguns dos temas que serão cantados pelo Grupo Vocal MPB no espetáculo "Quando a História se Faz Canção", em ritmos como o samba, batuque , marcha, fado, baião e toada.

O espetáculo propõe uma reflexão histórica e sugere a utopia como esperança, a exemplo dos versos: "correndo na frente do tempo, acima do que ficou combinado, sempre muito mais do que se poderia imaginar, inquieto e aflito com a certeza calada de quem está firme nos pés apesar de todas as dores", tal qual se referia Edu Lobo a Milton Nascimento, outro grande compositor brasileiro.

No repertório, foram reunidas canções como "Cara de Índio", de Djavan, "O Canto das Três Raças", de Paullo César Pinheiro, "Promessas de Sol" e "Léo", de Milton Nascimento, "Milagre dos Povos" e "Os argonautas", de Caetano Veloso, "Carcará", de João do Vale, "Cala a Boca Bárbara" e "Fado Tropical", de Chico Buarque e Rui Guerra, além de poemas como "Os Desaparecidos", do escritor Afonso Romano, e a "Carta do Cacique Seattle".
Sobre o Grupo Vocal MPB:

Projeto que reúne um grupo de 15 alunos-cantores, com foco na interpretação de compositores brasileiros da nossa música. Em 2013, o homenageado foi o mestre Cartola; em 2014, o maestro, pianista e compositor Antônio Carlos Jobim; e em 2015, foi a vez do espetáculo "Dos Tempos de Chumbo ao Tropicalismo", com as músicas censuradas de Chico Buarque e Caetano Veloso, no Teatro Bruno Kiefer e na Sala Carlos Carvalho da CCMQ. No ano de 2016, o projeto “Viver o Amor segundo Chico Buarque” foi apresentado no MEME Santo de Casa Estação Cultural, Espaço Cultural 512 e Teatro do SESC/POA. Em abril de 2017, o grupo acompanhou Rosana Marques e Banda no Show Simplesmente Elis, no Teatro do SESC/POA. Os cantores são acompanhados por bateria, baixo, guitarra, violão, teclado, percussão, sax e flauta. O Grupo Vocal MPB é idealizado pela cantora e violonista Rosana Marques, tendo a participação do diretor de teatro Ernani Poeta nas concepções dos últimos espetáculos.

Local

  • Sede Campestre do Banrisul - Av. Serraria, 3100

Data

  • 29 de Novembro, às 16h